quarta-feira, 6 de março de 2013

O amor próprio altera a retidão do juízo


De ordinário, julgamos as coisas segundo a inclinação do nosso coração, pois o amor-próprio facilmente nos altera a retidão do juízo. Se Deus fora sempre o único objetivo dos nossos desejos, não nos perturbaria tão facilmente qualquer oposição ao nosso parecer.

Muitos buscam secretamente a si mesmos em suas ações, e não o percebem. Parecem até gozar de boa paz, enquanto as coisas correm à medida de seus desejos; mas, se de outra sorte sucede, logo se inquietam e entristecem.

Se mais confias em tua razão e talento que na graça de Jesus Cristo, só raras vezes e tarde serás iluminado.

Imitação de Cristo

2 comentários:

domvob disse...

Precisava deste post hoje! Obrigado...

Fábio Graa disse...

Disponha! ^^