quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Primeiro dia de Professor num Cursinho


Hoje foi o meu primeiro dia como professor de Filosofia num Cursinho Pré-Vestibular. Ainda estou em fase de experimentação; pelo que me disseram, o critério pra saber se fica ou se sai, é os alunos gostarem. Estou procurando, então, ser bastante claro na exposição, mas nada de inventar um sujeito que eu não seja. Depois, não creio que os responsáveis estarão nos pés dos alunos a fim de saber se a aula lhes agradou ou não. Além do que, pelo que noto, a necessidade deles de um professor na área de Filosofia é grande. Uma das responsáveis insistiu bastante pra eu ficar. Pois bem, hoje dei minha primeira aula. Habituado às aulas do curso, a tendência é, logo, aprofundar o assunto. Mas recentemente, dando uma aula de doutrina católica, notei que os presentes não acompanhavam bem. Portanto, tenho de fazer um esforço mesmo para explicar os rudimentos e fazer-me compreender. Para tal, é preciso passar bastante tempo numa mesma idéia, explicando-a de diversos modos. Mas a experiência foi boa. Eu, particularmente, gostei bastante.

Na verdade, eu já venho dando aulas num cursinho popular; mas é um trabalho voluntário, e minha aula é somente uma vez por mês, algo meio que representativo. Não dá pra dar três milênios de Filosofia, nem sequer por cima, com somente uma aula por mês. Além disto, este trabalho que iniciei hoje é remunerado, coisa que eu estava precisando muito, seja pela questão financeira mesmo, seja pra fazer parar ou diminuir o falatório por aqui.

Mas, enfim. Rezo pra que eu possa ficar. E que se resolvam uns outros problemitas aí. Mas isso aí é com Nosso Senhor.